Odetta: uma voz na luta pela liberdade e igualdade

A rainha da música popular americana, assim definiria Martin Luther King, uma das maiores representantes dos direitos civis, Odetta Holmes (31 de dezembro de 1930 – 2 de dezembro de 2008). Sua voz negra, forte, reconhecida ainda criança por uma professora de gramática que conversou com sua mãe e incentivou Odetta a ter uma formação clássica.

 
Odetta – House of the Rising Sun
Após se formar na faculdade de música, em 1950, ela conseguiu um papel no coro de uma produção itinerante de Finian’s Rainbow. Mas experimentando a noite e a música folk, mudou seu rumo, começando a cantar na noite e abandonando o teatro.
Sobre o porquê ter escolhido o estilo folk declarou, “Através dessas músicas, eu aprendi coisas sobre a história do povo negro neste país que os historiadores na escola não estavam dispostos a nos dizer sobre ou mentiu sobre”.
 
The waterboy – Odetta
Em 1956, lançou seu primeiro trabalho com o titulo “Odetta Sings Ballads and Blues”, que virou sucesso logo depois o lançamento, tendo em seguida mais dois álbuns, o segundo em 1957, “At the Gate of Horn” e o terceiro, em 1959, “My Eyes Have Seen”.
O engajamento na luta pelos direitos civis foi um dos momentos mais ricos na carreira de Odetta, com o apoio de Martin Luther King, a uma voz que representava a luta dos negros por igualdade. Na Marcha sobre Washington (1963) após a abertura de Martin Luther King, Odetta cantou sobre os degraus do Memorial Lincoln, que reuniu mais de duzentas e cinqüenta mil pessoas. Foi neste dia de 28 de janeiro de 1963, que Luther King fez um dos discursos mais famosos do mundo, que sua frase inicial é amplamente conhecida, “Eu tenho um sonho”.
Odetta – Mr. Tambourine Man
Influenciando outros artistas como Bob Dylan, que disse, “A primeira coisa que me pegou a canção folk foi Odetta, ouvi um registro dela [Odetta Sings Ballads and Blues] em uma loja de discos, de volta quando você poderia ouvir discos ali mesmo na loja. Direito então e lá, eu saí e troquei minha guitarra e amplificador para uma guitarra acústica, um flat-top Gibson .. .. [Esse álbum foi] apenas algo vital e pessoal, aprendi todas as músicas que registram”. Artistas como Joan Baez, Janis Joplin e Harry Belafonte também foram influenciados pela voz e força de Odetta.
 
Odetta – Aint no grave can hold my body down
No ano de 1965, Odetta gravou um disco com as músicas de Bob Dylan, dentre elas: “Baby, I’m in the Mood for You”, “Long Ago, Far Away”, “Don’t Think Twice, It’s All Right”, “Tomorrow is a Long Time”, “Masters of War”, “Walkin’ Down the Line”, “The Times They Are A-Changin'”, “With God on Our Side”, “Long Time Gone”, “Mr. Tambourine Man”, “Blowin’ in the Wind” e “Paths of Victory”.

Com uma história ligada a música, aos 77 anos, Odetta morreu em 2008, antes de ver a posse de Barack Obama. Morreu em plena atividade musical, tendo lançado seu último disco no ano de 2005, ao vivo com o titulo, “Gonna Let It Shine”.

Odetta Holmes – Tomorrow Is A Long Time
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s