Ira Hayes: Uma música para denunciar o destino de um herói índio americano

Ao ouvir o álbum “Bitter Tears” ou, “Lagrimas amargas: Baladas do índio americano” de Johnny Cash, encontrei a música “The Ballad of Ira Hayes”. Encheu-me de curiosidade, pois já tinha ouvido falar deste personagem, um que hasteou a bandeira americana na famosa foto da batalha de Iwo Jima na 2ª guerra mundial.

Sua história foi imortalizada em várias facetas do mundo das artes, inclusive sua mais nova versão foi o filme de Clint Eastwood, “A Conquista da Honra”, que conta a história para tirar a fotografia e de seus personagens. Ira Hayes chegou a interpretar si mesmo no filme “Areias de Iwo Jima” de John Wayne.
Johnny Cash –  “The Ballad of Ira Hayes”
O fim de sua vida foi objeto da denuncia social. O artista folk Peter La Farge compôs a música “The Ballad of Ira Hayes” que foi regravada por artistas como Peter Segel, Bob Dylan, Townes Van Zandt, Smiley Bates, Johnny Cash, dentre outros.
A música faz a denúncia sobre a situação em que foi morto o índio Ira Hayes, alcoólatra e morto pelo frio no solo dos Estados Unidos. Sendo um herói nacional foi enterrado com honras de estado, mas em sua vida, “sem água, sem plantação, sem chances”, por isto a composição chama a perceber Hayes para além de um bêbado.
A balada de Ira Hayes
Ira Hayes
Ira Hayes
Refrão
Chamá-lo de bêbado Ira Hayes
Ele não vai responder mais
Não é bebendo o uísque indígena
Nem da Marinha que foi à guerra
Pessoas se reúnam em volta de mim, há uma história que irei contar
Sobre um corajoso jovem indígena que vocês devem lembrar bem
Da terra dos índios Pima
Um grupo orgulhoso e nobre
Que cultivaram o vale de Phoenix, nas terras do Arizona
Perto das valas por milhares de anos
A água fez crescer o milharal do povo de Ira
Até que o homem branco roubou o direito sobre a água
E a água cristalina parou
Agora o povo de Ira está com fome
E na sua terra cresceu culturas de maconha
Quando veio a guerra, Ira se voluntariou
E esqueceu a ganância do homem branco
Refrão
Chamá-lo de bêbado Ira Hayes
Ele não vai responder mais
Não é bebendo o uísque indígena
Nem da Marinha que foi à guerra
Lá, eles lutaram na colina de Iwo Jima
Duzentos e cinqüenta homens
Mas apenas vinte sete viveram para voltar lá pra baixo outra vez
E quando a luta acabou
E quando a Old Glory se levantou
Entre os homens que se mantiveram firme
Estava o índio, Ira Hayes
Refrão
Chamá-lo de bêbado Ira Hayes
Ele não vai responder mais
Não é bebendo o uísque indígena
Nem da Marinha que foi à guerra
Ira retornou como um herói
Celebrado por toda a terra
Ele foi emocionado, discursado e honrado; todo mundo o cumprimentei
Mas ele era apenas um índio Pima
Sem água, sem plantação, sem chances
Em casa ninguém se importava com o Ira tinha feito
Nem quando os índios dançaram
Refrão
Chamá-lo de bêbado Ira Hayes
Ele não vai responder mais
Não é bebendo o uísque indígena
Nem da Marinha que foi à guerra
Então, Ira começou a beber demais
A cadeia foi várias vezes sua casa
Eles o deixavam levantar e abaixar a bandeira
Como se você fosse jogar um osso pra um cachorro!
Ele morreu bêbado uma manhã
Sozinho na terra que ele lutou para salvar
Dois centímetros de água em uma vala solitária
Foi uma sepultura para Ira Hayes
Refrão
Chamá-lo de bêbado Ira Hayes
Ele não vai responder mais
Não é bebendo o uísque indígena
Nem da Marinha que foi à guerra
Sim, chamá-lo de Ira Hayes bêbado
Mas a sua terra é tão seca
E o seu fantasma está deitado com sede
Na vala onde Ira morreu
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s