Humberto Teixeira: 100 anos do Doutor do Baião

Humberto

Senão fosse o registro de jornalistas e de políticos, passaria desapercebido o centenário de Humberto Teixeira. O Doutor do Baião, cearense nascido em Iguatu no dia 05 de janeiro de 1915, ainda está a ganhar o reconhecimento que merece como compositor e político do estado.

O Brasil não é grato com seus compositores, cantores tem mais carinho popular. O próprio Luís Gonzaga declarou em entrevista ao Pasquim ao ser perguntado sobre o esquecimento de Humberto Teixeira:

“Humberto começou a ser injustiçado pelo Ceará, terra dele. Porque Lauro Maia era muito popular lá, os cearenses bebiam com o Lauro, cantavam com o Lauro e ele era tido como líder cearense. Logo após a morte de Lauro Maia aparece Humberto. Aí começaram a acusar Humberto de ter herdado o baú de Lauro Maia. Isso foi negativo pra ele. Como você sabe, o cantor sempre leva a melhor, e se Humberto tem aparecido, é porque eu faço questão de exaltar Humberto. Lá em Fortaleza nem adianta que ninguém acredita. Ele é um homem injustiçado. Agora, é um homem fabuloso. Ele fez um baiãozinho agora pra o elepê “O Canto Jovem de Luiz Gonzaga” e você vai ver que beleza” (Luis Gonzaga. Entrevista ao Pasquim Nº 111, 17 a 23 de agosto de 1971) .

A obra de Humberto é inesgotável, pois entrou no imaginário popular. “Asa Branca” virou hino de identificação do Nordeste e também forma de se contrapor ao empobrecimento musical incentivado pela indústria cultural.

Escute Asa Branca – Luis Gonzaga

Não foi só “Asa Branca” que Humberto criou, mas foram mais cerca de 300 canções, dentre as quais “Mangaratiba”, “Juazeiro”, “Paraíba”, “Qui nem jiló”, “Xanduzinha”, “Baião”, “Lorota boa”, “Assum preto”, “Estrada de Canindé”, “Respeita Januário” e “Meu pé de serra”. Keiko IKuta levou as músicas de Luís Gonzaga e Teixeira para o Japão, inclusive gravando “Tókio Baião” parceria de Humberto com Kikuo Furano.

Sua vida foi celebrada no documentário “O homem que engarrafava nuvens” em 2008. O filme teve a direção de Lírio Ferreira e a produção de Denise Dumont. a estreia do filme aconteceu no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.

Assista “O homem que engarrafava nuvens”

Leia matéria do Senador Inácio Arrruda sobre o Centenário de Humberto Teixeira: http://inacio.com.br/2015/01/viva-humberto-teixeira-esse-baiao-nao-tem-fim/

Leia Matéria no Diário do Nordeste sobre o Centenário de Humberto Teixeira: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/caderno-3/a-memoria-do-doutor-1.1188376

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s