Jackson do Pandeiro: 95 anos de um dos ícones da música nordestina

Jackson_do_pandeiro

Em 31 de agosto de 1919, nascia na cidade de Alagoa Grande, um dos maiores expoentes da música nordestina, José Gomes Filho ou conhecido nacionalmente como Jackson do Pandeiro. O conterrâneo de Margarida Alves, cresceu a mãe, Flora Mourão, cantando coco e em uma oportunidade assumiu a zabumba em uma das apresentações maternas. O seu primeiro instrumento foi um presente da mãe, um pandeiro. Continuar lendo

Anúncios

Geraldo Azevedo: 69 anos de poesia e cantoria

Um dos primeiros cd´s que ouvi, a coletânea “Minha história” de Geraldo Azevedo me apresentou este músico, interprete e autor de algumas das mais belas composições que ouvi, como “Dia Branco”, “Caravana”, “Bicho de sete cabeças”, “Canção da despedida”, “Moça Bonita”, “O amanhã é distante”, “Dona da minha cabeça”, dentre outras.
Geraldo Azevedo de Amorim nasceu no dia 11 de janeiro de 1945. Com 69 anos continua em plena atividade, assim como seus irmãos de canção, Alceu Valença, Zé Ramalho, Elba Ramalho, Xangai e Elomar.

Continuar lendo

Cantando no Banheiro: descontração marca música de Alceu Valença

Com um violão, vestido para o show, com a irreverência própria e homenagens a Dorival Caymmi e a Luiz Gonzaga, seria o espetáculo natural do pernambucano Alceu Valença. Mas o inusitado, que é próprio de Alceu é o local da gravação, um banheiro.
Mostrando de que é capaz de cantar em qualquer ambiente e demonstrando uma intimidade com o público do youtube, com o nome do programa Cantando no Banheiro. Os vídeos mostram de forma caseira, homenagens a mestres da música brasileira como Luiz Gonzaga com as músicas Numa Sala de Reboco, de autoria de Luiz Gonzaga e Zé Marcolino, como a Riacho do Navio de Gonzaga e de Zé Dantas. Assim como uma linda interpretação de Saudade da Bahia, na autoria de Dorival Caymmi.

Continuar lendo

Zé Marcolino: Um sucesso e parceria maior que “Numa Sala de Reboco”

Postando no facebook, uma figura de homenagem ao centenário do nascimento do Rei do Baião, Luiz Gonzaga, nascido no dia 13 de dezembro de 1912, na cidade de Exu (PE), recebi a chamada para iniciar uma boa conversa com o jornalista Paulo Verlaine, que falou de um parceiro de Luiz, menos conhecido nestas terras do que nosso conterrâneo de Iguatu, Humberto Teixeira. Mas presente com a música em toda festa de Forró, Numa Sala de Reboco, o paraibano da região do Cariri, da cidade de Sumé, José Marcolino Alves, conhecico como Zé Marcolino.

Continuar lendo