Faroeste Caboclo: Influências na composição de uma das maiores canções do rock brasileiro

A irmã de Renato Russo, Carmem Manfredini, trouxe novas reflexões para ajudar a explicar uma das músicas icônicas da banda Legião Urbana, “Faroeste Caboclo”. A explicação veio no vídeo publicado no dia 22 de abril de 2013, para a promoção … Continuar lendo

Jovens a favor da paz e contra a guerra do Vietnã

857603_563960063623994_515724904_oO questionamento social, a luta contra o racismo e o machismo, o desejo de paz e liberdade, a luta contra a guerra do Vietnã e as ditaduras civis, levaram os anos 60 e 70 a ver o ápice do movimento de contracultura.

A contestação social criou movimentos como os hippies, os panteras negras, a luta feminista e dos direitos civis, que teve destaque em  Woodstock, Maio de 68 e a Primavera de Praga.

 

Combate ao alistamento obrigatório

O alistamento obrigatório nos Estados Unidos da América (EUA) foi um dos pontos de combate por parte dos movimentos em defesa da paz. Umas das criticas era de que filhos de pessoas importantes burlavam a convocatória para servir na guerra do Vietnã, um dos exemplos é David Eisenhower, filho do ex-presidente americano, Eisenhower.

A Banda Creedence Clearwater Revival, teve dois integrantes que serviram ao exército nos anos de 1966 e 1967, e deixou uma mensagem contra os filhos da elite que não se alistavam na  música “Fortunate Son”, “Não sou eu, não sou eu / Eu não sou filho do senador, não / Não sou eu, não sou eu / Não sou nenhum felizardo, não”.

Escute Creedence Clearwater Revival – “ Fortunate Son”

Segundo Norman Mailer, no livro “Os Exércitos da Noite – Os Degraus do Pentágono, muitos jovens opositores da guerra queimaram as cartas de convocatória, como aconteceu na Marcha sobre o Pentágono no ano de 1967. Porém, mesmo com a oposição de parte da juventude, o Presidente Lyndon Jhonson aumentou de 16 mil de 1963 para 550 mil no inicio de 1968.

Paz e Amor

Os movimentos de resistência pacifica liderados por Martin Luther King e o movimento hippie lideraram uma onda de oposição a guerra. Um dos destaques nas vozes do movimento pacifista foi a música de Jonh Lennon, Timothy Leary, Allen Ginsberg, Tommy Smothers e Dick Gregory, “Give Peace a Chance”,  gravada no ano de 1969: “Dois, um, dois, três, quatro / Todos estão falando sobre / Bagismo, Shaguismo, Draguismo, Madismo, Ragismo, Tagismo / Esse ismo, Aquele ismo, ismo, ismo /Tudo o que estamos dizendo é dê uma chance a paz”.

Escute John Lennon – Give Peace a Chance

Além de John Lennon, outros músicos como Bob Dylan, Joan Baez, The Doors, Jimmy Hendrix, compuseram canções protestos contra a guerra.  O cantor de Joe Mc Donald veterano da Guerra do Vietnã tocou, músicas country, no festival de Woodstock,  e denunciou que os pais que enviarem filhos para guerra, poderão recebê-los de volta em um caixão.

Escute  Joe McDonald – I Feel Like I’m Fixin to Die Rag

Um francês fotografa a guerra

Marc Riboud começou a vida como engenheiro, mas foi na fotografia que se destacou. Fotografou a guerra do Vietnã e registrou as principais personalidades do século XX.

Ele registrou a manifestação de 1967, em que jovens na capital do EUA, Washigton, queimaram suas cartas de convocação para Guerra e a jovem Jan Rose Kasmir, que protestou contra a guerra. No Vietnã acompanhou as ações do exercito americano, como o cotidiano do Vietnã do Norte.

Veja as fotos:

 

Washington, DC, 1967. March for Peace in Vietnam – Marc Ribaud

Vietnam, 1969 – Marc Ribaud

Texto publicado no site da metamorfose comunicação

Estagiário de Jornalismo: Esdras Gomes

Arte e Jornalista responsável: Marina Valente (MTB 1961/CE)

Odetta: uma voz na luta pela liberdade e igualdade

A rainha da música popular americana, assim definiria Martin Luther King, uma das maiores representantes dos direitos civis, Odetta Holmes (31 de dezembro de 1930 – 2 de dezembro de 2008). Sua voz negra, forte, reconhecida ainda criança por uma professora de gramática que conversou com sua mãe e incentivou Odetta a ter uma formação clássica.

Continuar lendo

Zé Geraldo: homenagem através da música a Bob Dylan

Para quem teve o sonho de seguir na carreira de futebol, frustrada por um acidente. Fato que fez ao estar na recuperação do trauma a aprender os primeiros acordes de um violão e com o tempo deixar de lado a carreira de executivo para se dedicar a música, essa é parte da trajetória para um representante do rock rural brasileiro.

Continuar lendo

The House of the Rising Sun: uma casa de meninos que cantam

 

Sem um autor certo, segundo o Wikipédia, a música “A Casa do Sol Nascente” ou como conhecida “The House of the Rising Sun”, é parte do repertório de inúmeros grupos e artistas, inclusive ajudando alguns a alcançar o estrelato. Falando da vida triste em uma casa em Nova Orléans, onde possuiu uma infância triste, com sua mãe alfaiate e um pai apostador e alcoólatra.

 

Continuar lendo