Caetano Veloso: 71 anos de música e criatividade

Foi no dia 07 de agosto de 1942, que nasceu um dos maiores e mais polêmicos nomes da música brasileira, Caetano Veloso. O irmão de Maria Bethania fez sua primeira gravação em  1965 com o compacto “Cavaleiro / Samba em paz”, que são as duas músicas que compões esse disco.

Continuar lendo

Anúncios

Jorge de Capadócia: Homenagem de Jorge Ben Jor ao seu santo protetor

Andando a caminho de casa, me vejo cantando a composição elaborada por Jorge Duílio Lima Meneses, devoto do santo de seu primeiro nome. Jorge Ben ou Jorge Ben Jor como ficou imortalizado na música brasileira, homenageia o Santo Católico, que foi incorporado à umbanda, com ligação a Orixá Ogum.
São Jorge, o santo guerreiro, padroeiro da Inglaterra, Portugal, Catalunha, Moscou, do exercito brasileiro e um dos 14 santos auxiliares da Igreja Católica. Sua penetração na história é tão grande e o desejo que sua força fosse transportada, é um pedido feito na letra de Ben Jor.

Continuar lendo

Manjar de Reis: criatividade de Mautner e Jacobina para falar de amor

Quem nunca ouviu um apaixonado chamar de docinho, doce de coco, dentre outras coisas, o seu amor. Pois é, muitas vezes chamamos o nosso amor por algo adocicado, e este gosto é simbólico. O azedo, salgado ou amargo lembram outros sentimentos, que às vezes tem relação com amor, mas não simbolizam a paixão.
A letra e a forma de canta parece brincadeira. A música de Jorge Mautner e Nelson Jacobina usa essas expressões para falar amor e desejo de uma forma inusitada. Com sobremesas e carinhos, as palavras são usadas para uma homenagem ao parceiro. Assim como o sentimento de retribuição, pois ele sabe que esse algo, é seu e ele quer consumir e cuidar dela de uma forma especial.

Continuar lendo

Milton Nascimento e Caetano Veloso: parceria para declarar o amor de Paula e Bebeto

 
Com o coração partido pela separação de um casal de amigos, Milton Nascimento, em sua primeira parceria com Caetano Veloso, cantou no verso da música Paula e Bebeto, “mas no meu canto estarão sempre juntos”. O casal de amigos era Paula que conheceu com 15 anos e Bebeto de 17 anos.

Continuar lendo

Monsueto: Cantando o lamento das lavadeiras

 
Cantando a vida difícil das lavadeiras que lavam para senhoras da alta sociedade, em “Lamento de lavadeira” de 1956, a composição de Monsueto Campos de Menezes, compositor, interprete e ator, em conjunto com João Violão e Nilo Chagas, lançada por Marlene fala do cotidiano de trabalho e a saga destas mulheres usando versos como “Sabão, um pedacinho assim / A água, um pinguinho assim / O tanque, um tanquinho assim / A roupa, um montão assim” e após descrever os instrumentos e situações, conclui com o seguinte desfecho “Trabalho, um tantão assim / Cansaço, é bastante sim / A roupa, um montão assim / Dinheiro, um tiquinho assim”.

Continuar lendo

Criolo diz “Os mortos de Pinheirinho não me deixam comer”

 
O artista Kleber Cavalcante Gomes, conhecido como Criolo. residente em São Paulo têm mexido com o cotidiano da música popular brasileira ao tomar posicionamentos políticos em seus shows e em sua arte.
Em shows recentes, no Circo Voador, no Rio de Janeiro (RJ), ele mostrou um cartaz com a mensagem “Os mortos de Pinheirinho não me deixam comer”, denunciando a violência policial na Cidade Pinheirinho, interior do Estado de São Paulo.

Continuar lendo