Candeia, Cartola e Juarez Barroso: Preciso me encontrar

Candeia

Candeia

Quando escutei há alguns anos, a música “Preciso me encontrar” veio uma rápida identificação. Conheci primeiramente na voz de Marisa Monte, para descobrir posteriormente interpretada por Cartola. Achei que refletia algum sentimento meu.

Os versos entraram fundo em minha alma, pois me diziam “Deixe-me ir / Preciso andar / Vou por aí a procurar / Rir pra não chorar” e no fim dava a resposta desta busca com “Quero assistir ao sol nascer / Ver as águas dos rios correr / Ouvir os pássaros cantar / Eu quero nascer / Quero viver / (…) Se alguém por mim perguntar / Diga que eu só vou voltar / Depois que me encontrar ”.

Continuar lendo

Cazuza: Ideologia, Brasil, Burguesia e O Brasil vai ensinar o mundo, o amadurecimento político do poeta

A burguesia fede! Um poeta rebelde antes do adeus afirmou. Agenor de Miranda Araújo Neto, Cazuza, nasceu na Cidade do Rio de Janeiro em 4 de abril de 1958 e morreu no dia 7 de julho de 1990 com 32 anos.
Do primeiro disco com o Barão Vermelho em 1982 ao último gravado em 1989, não é só refinamento do poeta que é visto. Mas sim o amadurecimento político de Cazuza.

Continuar lendo

Elis Regina e Jair Rodrigues: Viva ao Morro!!!

Jair_Rodrigues_e_Elis_regina
Ouvindo o disco Fascinação de Elis Regina, encontro esta pérola que é um pot-pourri em homenagem aos morros da Cidade do Rio de Janeiro e seu lindo Samba. Locais de boemia, amores, inspiração retratada pelas belas canções de diversos compositores, que vão desde Jobim, Vinicius, Cartola, Ruy Guerra, Guarnieri, Carlos Lyra, Zé Keth e muitos outros. Tudo isto contrabalançado com a bela interpretação de Jair Rodrigues, que traz um charme a esta bela seleção de trechos. Encarar o morro como local de inspiração romântica e de alta qualidade é um desafio, ainda na maneira que estes dois interpretam, dando um ar de soberania e brilho aos personagens, a vida no morro, a musicalidade, a maneira dura de viver.

Continuar lendo