Nara Leão: “Os meus amigos são um barato!”

O data de nascimento de Nara Leão foi o dia do adeus Elis Regina. Companheiras de música e de “Acender as Velas” como Elis declarou ao cantar o samba de Zé Kety, no disco “Dois na Bossa, Volume II”.
Nara faria 71 anos, senão fosse vitima de um tumor cerebral, falecendo aos 47 anos. Musa da Bossa Nova, incentivadora da Tropicália, cantora de protesto e de engajamento sem igual.
Provocou a ira dos militares, fazendo com que a intelectualidade nacional fizesse uma campanha contra a sua prisão. Uma dessas pressões foi à carta de Carlos Drummond de Andrade endereçada ao presidente militar Castelo Branco, com o titulo: “Não prenda Nara Leão”.

Continuar lendo

Elis: polêmica com o irmão do Betinho, o Henfil

Eu ainda não tinha três meses de vida quando Elis Regina faleceu no dia 19 de janeiro de 1982. Com 31 anos, é difícil negar sua influência na vida brasileira. Jovens cantarolam “Como nossos pais”, senhores recitam “O Bêbado e a equilibrista”, apaixonados “Tatuagem”, Jobinianos as “Águas de Março” e assim por diante, vamos ouvir Elis ao longo da sua influência pelo povo brasileiro.

Continuar lendo

Elis Regina e Jair Rodrigues: Viva ao Morro!!!

Jair_Rodrigues_e_Elis_regina
Ouvindo o disco Fascinação de Elis Regina, encontro esta pérola que é um pot-pourri em homenagem aos morros da Cidade do Rio de Janeiro e seu lindo Samba. Locais de boemia, amores, inspiração retratada pelas belas canções de diversos compositores, que vão desde Jobim, Vinicius, Cartola, Ruy Guerra, Guarnieri, Carlos Lyra, Zé Keth e muitos outros. Tudo isto contrabalançado com a bela interpretação de Jair Rodrigues, que traz um charme a esta bela seleção de trechos. Encarar o morro como local de inspiração romântica e de alta qualidade é um desafio, ainda na maneira que estes dois interpretam, dando um ar de soberania e brilho aos personagens, a vida no morro, a musicalidade, a maneira dura de viver.

Continuar lendo